terça-feira, 30 de março de 2010

A essência do amor

A essência do amor, Liliana
É o paradoxo absoluto
De nada querer e querer tudo
De ceder-se a tudo... sem nada ceder

A essência do amor, Liliana
É perder-se nos desencontros e encontros
É a dúvida no sim
É a certeza no não

A essência do amor, Liliana
É perdoar absurdos
Sem, contudo, compreensão

A essência do amor, Liliana
É desnudar-se internamente
E vestir-se com a paixão


RCR

8 comentários:

  1. "É perdoar absurdos
    Sem, contudo, compreensão"

    Sei bem o que é isso.
    Mas o que a gente não faz por amor né?

    Beijos.

    Estefani

    ResponderExcluir
  2. belos versos . adorei passar por aqui !

    um abraço !

    ResponderExcluir
  3. Se a própria Liliana achou lindo, o que posso fazer senão concordar? (sorrio). Parabéns!

    Abraço do Jefhcardoso (http://jefhcardoso.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  4. Esta primeira visita de 2011 é para agradecer a gentileza e delicadeza que vocês tiveram ao ler o De Analgésicos & Opioides por todo esse tempo. E como em breve o blog tomará um novo rumo literário, gostaria de prestigiar todos aqueles que o seguiram quando ainda era apenas algo pequeno na blogsofera. Embora eu ainda não possa contar os detalhes, gostaria de pedir que vcs deixassem um email de contato fácil no De Analgésicos & Opioides. Quero poder prestigiá-los em breve com coisas bacanas e versos sempre livres!

    Abraços. E que absurdemos 2011! Tati

    ResponderExcluir
  5. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Viva e deixe viver. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir

outras naus